Linguagem Canina: 10 Dicas para Entender seu Cachorro!

Quem nunca se imaginou como em um daqueles filmes em que você fala e o seu cachorro te responde em voz alta? Ainda que não falem assim, os cães se comunicam de outra forma, a tal da linguagem canina. Vamos conhecer algumas dicas para entender seu cachorro?

A linguagem dos cães

Latidos, rosnados e principalmente sinais corporais fazem parte da linguagem canina. Esses são sinais que devem ser observados dentro de um contexto e são conhecidos como sinais de calma ou apaziguamento, pois sua função é mostrar desconforto, reduzir o nervosismo e stress, fazer com que se sintam mais seguros e com que os outros cães e humanos que os observam também se sintam mais seguros, evitar brigas e ameaças ou ainda fazer amizade (RUGAAS, 2011).

Os lobos emitem esses sinais de forma ainda mais clara do que os cães, pois para eles evitar conflitos é questão de sobrevivência. Todo cachorro emite sinais de desconforto, alguns de forma mais clara, outros de forma mais sutil e também algumas raças de cães emitem mais ou menos sinais do que outras de acordo com sua forma física, mas alguns cachorros também podem ter dificuldade em emitir e entender esses sinais por causa de abandono, por terem seus próprios sinais reprimidos ou por não terem convivido com a mãe e os irmãos, mas ainda assim é possível aprenderem através da observação e treino, sempre com reforço positivo!

10 dicas e exemplos de sinais para entender seu cachorro

No livro A linguagem dos cães: os sinais de calma (2001) a treinadora norueguesa Turid Rugaas reuniu mais de trinta sinais. Esses são apenas alguns exemplos e dicas de como identificá-los, entendê-los e até praticá-los:

  1. Devemos observar os sinais sempre dentro de um contexto. Há alguns sinais, por exemplo, o bocejar e o farejar, que podem simplesmente significar que o cão acabou de acordar de uma soneca ou que está sentindo algum odor. Por isso devemos sempre observar em que contexto o sinal ocorre para interpretá-lo corretamente. Pode acontecer mais de um sinal ao mesmo tempo também.
  2. Bocejar: demonstra incômodo e insegurança ou indica que o cão está tentando se acalmar. Usam muito quando encontram outros cães, diante de uma situação nova ou, por exemplo, se levam uma bronca do tutor. Nós podemos usar este sinal ao encontrar um cachorro que acabamos de conhecer ou que está inseguro.Linguagem canina: 10 dicas para entender seu cachorro!
  3. Girar a cabeça, desviar o olhar: pode ser rápido ou demorado, virando toda a cabeça para o lado. Pode colocar as orelhas para trás também. Serve para indicar desconforto (por exemplo, quando uma criança abraça o cão e ele vira a cabeça ou se outro cão se aproxima rápido demais) ou também para pedir que o outro se acalme – podemos utilizar esses sinais também.  Exemplo do sinal com as orelhas para trás: Na foto ao lado, a Suki (Instagram: @suki.shiba.inu ) pedia para sua tutora se acalmar depois de ter roído sua sandália favorita!
  4. Semicerrar os olhos: para se mostrar amigável e não ameaçador. Podemos utilizar nas mesmas situações descritas acima.
  5. Andar devagar ou fazer movimentos lentos: usam para se acalmarem. Podem usar diante de outros cães ou se você o chama com tom de voz demonstrando irritação. Nós podemos usar quando um cão se mostra assustado ou com medo, para que ele se acalme.
  6. Farejar/rodear: pode ser rápido ou devagar, mantendo o focinho no chão até que a situação de conflito passe. Demonstra que não quer conflito.
  7. Abanar a cauda: nem sempre é uma demonstração de alegria, pode indicar medo, por exemplo, se o cão se aproxima devagar, agachando e até se urinando ou ainda pode ser um sinal de agressividade, muitos cães abandam a cauda antes de um confronto.

8. Dar as costas/girar: podem fazer isso para reduzir a intensidade de uma brincadeira ou diante de situações que parecem sair do controle, como quando outro cão rosna para ele ou quando o tutor demonstra estar bravo.

9. Lamber o focinho (licking): pode ser um movimento rápido da língua sobre o focinho ou até demorado da língua encostando no focinho. Demonstra desconforto, cão está tentando se acalmar.

Exemplo do sinal de lamber o focinho: Não necessariamente a Charlotte (Instagram: @charlotte.corgi ) estava desconfortável na hora da foto ao lado. Lembre-se de que precisamos analisar o contexto, poderia haver um petisco envolvido!

10. Posição de brincar (playball): abaixar as patas dianteiras e erguer o bumbum. É um convite para brincar! (Falando em brincadeiras, você ja viu a enorme seleção de brinquedos incríveis que temos para o seu cão?) Mas se usado diante de outros animais como vacas ou cavalos pode indicar que o cão não se sente muito seguro.

Importância de conhecer e interpretar os sinais

Aprender a identificar e interpretar os sinais é muito útil, pois pode melhorar muito nossa interação com nossos cães e evitar conflitos. Com eles entendemos que o cão não sente culpa por algo que fez, mas que está simplesmente pedindo para que nos
acalmemos ou podemos interromper uma interação se percebemos que nosso cão não se sente confortável. Sem contar que entender seu cachorro facilitará muito a sua rotina e convívio no dia-a-dia.

Também é extremamente importante para entendermos que nenhuma mordida acontece “do nada”. O cão busca sempre evitar conflitos e emite os sinais demonstrando desconforto e tentando se acalmar, mas se esses sinais não são respeitados, então ele parte para a etapa seguinte, que seria rosnar e até morder. E nesse caso não há necessidade e nem razão para ser agressivo com um cão, pois o erro de não respeitar foi nosso.

Por fim, a escolha é nossa, podemos simplesmente ignorar tudo isso ou buscar aprender e entender nossos cães, de forma a melhorar sua qualidade de vida e o nosso relacionamento com eles.

 

 

 

 

Bibliografia:
DIAS, Valéria. Cães lambem a própria boca diante de emoções negativas. Jornal da USP, SP, 2017. Disponível em  jornal.usp.br/?p=135634, acesso em 13 de outubro de 2020 às 10h32.
RUGASS, Turid. A linguagem dos cães: os sinais de calma. Kns Ediciones S.C., 2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Menu Principal