Comportamentos Naturais: 4 ideias de como estimulá-los em casa

Comportamentos naturais

Você já se perguntou por que os cães fazem certas coisas como cavar, morder ou roer, parar toda hora no passeio para farejar tudo e às vezes até rolar em xixi de outros cães (a Joy já rolou em cocô!)? Esses são alguns dos comportamentos naturais dos cães.

Para entendermos isso, precisamos primeiro entender que os cães têm sua própria forma de ver o mundo e ela é completamente diferente da nossa. Se quisermos entendê-los, precisamos saber o que é importante para eles, como percebem e como agem no mundo (HOROWITZ).

Nós e os cães recebemos estímulos de forma diferente e tudo o que faz parte do mundo do cão deve ser visto a partir do olhar dele, por exemplo, uma mesa que para nós serve para colocar objetos em cima, para ele pode ser algo interessante e até delicioso para se roer! E é assim que começam os problemas, porque não vemos o mundo da mesma forma que os cães e muitas vezes pensamos que eles fazem as coisas por “birra” ou vingança, sentimentos tipicamente humanos! Os cães não sentem culpa, a “cara de culpa” nada mais é do que o cão se comunicando através de sinais corporais demonstrando que não quer briga.

Mas então, por que os cães fazem isso?

Os que citamos no início são alguns dos comportamentos naturais dos cães, comportamentos que são próprios da espécie! A prática desses comportamentos traz bem-estar aos pets e ajuda a aliviar o stress e o tédio e a estimulá-los física, mental e emocionalmente.

É importante destacar que apesar de serem comportamentos naturais da espécie, isso não quer dizer que todos os cães realizem todos esses comportamentos, pois cada um é um indivíduo e devemos pensar nas suas preferências, portanto, não fique triste se por acaso seu cão não se interessar, por exemplo, por um brinquedo de roer. Pode ser que ele simplesmente não goste muito de praticar esse comportamento ou não tenha sido estimulado. Vale a pena tentar estimular o cão para descobrir do que ele gosta! 

Comportamentos naturais e ideias de como estimulá-los em casa

  1. Farejar: os cães reconhecem o mundo através dos seus focinhos! Diferente de nós, que temos cerca de 6 milhões de receptores olfativos, os cães podem chegar a ter 300 milhões! Eles também não se acostumam com os aromas assim como acontece com a gente e a área do cérebro deles que processa a quantidade de informações obtidas através dos aromas é cerca de 40% maior do que a nossa! Já deu pra perceber como farejar é uma atividade extremamente importante para a saúde mental do cão! Ela acalma, relaxa e gasta muita energia.

Podemos estimular esse comportamento através de tapetes de fuçar, com tabuleiros próprios para cães, espalhando petiscos pela casa ou simplesmente permitindo que o cão fareje durante o passeio. O passeio é para o cão, deixe com que ele pare, fareje, gaste tempo e explore o ambiente, sempre com supervisão para não pegar nada perigoso do chão.

Aproveite e confira os tabuleiros interativos e comedouros lentos da New York Pets!

 

Benebone

Créditos: Joy e Pepper / Instagram @joy.2theworld

 

2. Roer: alivia o stress e o tédio, acalma, ajuda a limpar os dentes e ajuda a coçar a gengiva dos filhotes na troca de dentição, mas precisa ser direcionado para brinquedos próprios, pois senão o cão irá buscar o que roer em casa e poderá ser sua mesa, cadeira ou sofá (como vimos mais acima, ele enxerga esses objetos de forma diferente de nós). Nem todo cão se interessa por roer, a Joy era um deles. Ela começou a se interessar mais após a chegada da Pepper e hoje ela se diverte bastante com isso, mas a boquinha nervosa daqui com certeza é a Pepper!

Um exemplo de brinquedo próprio para estimular o comportamento de roer é o Benebone. Há vários formatos e vários sabores e você pode estimular o cão passando algum patê ou fruta no brinquedo também. 

 

Kong

Créditos: Joy e Pepper / Instagram @joy.2theworld

 

3. Forragear: É buscar por alimento. Mesmo que nós tutores forneçamos o alimento, os cães têm esse comportamento de querer trabalhar para comer. A atividade de forrageio gasta energia, relaxa e alivia o tédio e ainda trabalha a autoconfiança. Podemos estimulá-la através do enriquecimento ambiental alimentar. Enriquecimento ambiental é criar um ambiente desafiador, complexo e interativo. Existem vários brinquedos para isso!

Na foto ao lado, vemos Pepper com seu Kong Classic, um ótimo brinquedo que estimula esse comportamento de forrageio.

  1. Brincar: estimula a socialização e melhora a comunicação, melhora o vínculo entre o tutor e o cão e gasta energia física e mental e incentiva o cão a explorar seus sentidos e capacidades. Podemos estimular através de treinos, ensinando truques, sempre de forma positiva e que seja divertido para o tutor e para o cão e também com brincadeiras de cabo de guerra, bolinha, etc. 

 

 

A importância de conhecer os comportamentos naturais

Créditos: Joy, Pepper e seu Papily / Instagram @joy.2theworld

Conhecer e entender os comportamentos naturais do seu cão e também estimulá-los facilita a comunicação entre você e ele, melhora o vínculo entre vocês e proporciona uma melhor qualidade de vida a ele, além de evitar e prevenir comportamentos indesejáveis e problemas de comportamento.

Então, sabendo disso tudo, que tal conhecer e praticar diariamente?

Deixe seu comentário <3

Menu Principal