🎁 Presente de boas-vindas: Use o cupom PRI10 e ganhe 10%OFF em sua primeira compra hoje!

Cinomose: 7 dúvidas sobre sintomas, tratamento e como prevenir

cinomose

Quem tem um cãozinho na família, provavelmente já ouviu falar sobre cinomose canina. Essa é uma doença que exige muita atenção dos tutores, pois gera um quadro grave e pode trazer consequências graves para o animal. 

Por isso mesmo, preparamos este guia para esclarecer as principais dúvidas sobre os sintomas, tratamento e formas de prevenção. Continue a leitura e se informe!

1. O que é cinomose?

A cinomose em cachorro é uma infecção causada por um vírus da família Paramyxoviridae, também conhecido como vírus da esgana canina. Ele afeta os sistemas nervoso e respiratório do animal, então pode desencadear diversos sintomas no pet.

Por outro lado, não há riscos de transmissão da cinomose para humanos, então os tutores conseguem ter mais tranquilidade para tratar do animal. Aqui, é essencial contar com suporte veterinário e produtos de qualidade!

2. Como a cinomose é transmitida?

A transmissão da cinomose acontece pelo contato com um cão doente e com as secreções do animal (contaminação direta) ou pelas vias respiratórias ao respirar ar contaminado e pelo contato com objetos contaminados (contaminação indireta). 

O maior índice de transmissão acontece entre filhotes, normalmente entre 3 e 6 meses de idade. Isso acontece devido à ausência de vacinas e por ser uma idade em que eles estão com o organismo mais frágil pela perda de anticorpos maternos após o desmame. 

3. Quais são os primeiros sintomas da cinomose?

É preciso ter muita atenção aos sintomas da cinomose para procurar tratamento com o máximo de antecedência. O período de incubação do vírus é entre 3 a 15 dias, sendo que os primeiros sintomas aparecem após uma ou duas semanas. Nessa fase, os sintomas mais comuns são:

  • apatia;
  • secreção nos olhos e no nariz (conjuntivite);
  • tosse;
  • febre;
  • diarreia;
  • vômito;
  • perda de apetite.

Com o tempo, os sintomas costumam se agravar, afetando mais a respiração e o sistema neurológico do pet, com problemas como:

  • cansaço;
  • pneumonia;
  • espasmos musculares;
  • crostas ásperas no focinho;
  • pústulas (bolinhas com pus) na região do abdômen.

Quando a cinomose está em fase terminal, é comum que aconteçam convulsões, paralisia parcial ou total e coma. Devido ao estágio avançado da doença, nesses casos há poucas chances de sobrevivência e, caso fique curado, o cão terá algumas sequelas. 

4. Existe cura para cinomose?

Como a cinomose é transmitida

A cinomose pode ser tratada, mas nem sempre é possível curá-la, já que não existe um remédio específico para o problema. Assim, o veterinário prescreverá medicamentos que ajudem a combater os sintomas e a impedir o desenvolvimento da doença. 

No entanto, a doença desencadear situações casos mais graves que levam a óbito. Em outros casos de agravamento da doença, o cão pode ficar com sequelas da cinomose, como:

  • mioclonia, espasmos e tremores musculares involuntários;
  • convulsões pontuais ou contínuas;
  • paraplegia;
  • perda de visão;
  • problemas respiratórios.

5. Qual o melhor tratamento para cinomose?

O tratamento sempre dependerá dos sintomas apresentados e do caso clínico específico, o que pode incluir antibióticos, antieméticos, anticonculsionante e pomadas ou cremes quando surgem pústulas e outros sintomas na pele.  A duração do tratamento também varia de acordo com cada caso.

Cabe ressaltar que outro objetivo do tratamento é evitar o desenvolvimento de outras infecções que podem surgir em decorrência da cinomose. Em todos os casos, após o diagnóstico, é fundamental isolar ele do convívio com outros cães.

6. Qual é o melhor remédio para cinomose?

Não existe definição sobre o melhor remédio, já que isso dependerá do caso clínico específico, o que também influencia no tempo necessário para a recuperação do animal. 

Além das opções já citadas, podem ser necessários utilizar medicamentos para suplementar a nutrição do animal ou ajudar na hidratação que é causada pelos vômitos e diarreia. 

7. Como prevenir que seu pet tenha cinomose?

Existe uma dica essencial para prevenir a cinomose: vacina — as múltiplas ou polivalentes, como a V8 ou a V10, protegem contra essa e outras doenças. Siga atentamente o calendário de vacinação indicado pelo veterinário para garantir a proteção do seu pet. 

A vacina consiste em 3 doses, com intervalos de 3 a 4 semanas entre cada uma, e um reforço anual. A primeira dose pode ser administrada após 45 dias de vida, garantindo proteção desde os primeiros meses de vida. 

Além disso, é importante evitar contato com cachorros não vacinados, assim como ambientes ou objetos que tenham chances de estar contaminados. 

Bônus: Perguntas frequentes sobre cinomose

sintomas da cinomose

Ainda tem dúvidas? Veja algumas perguntas e respostas rápidas sobre o assunto:

Tratamento caseiro para cinomose é eficaz?

Diante da doença e das dificuldades que ela traz, é normal pesquisar se existe remédio caseiro para cinomose e se ele é eficaz. Porém, a prática não é recomendada. Essa é uma doença séria, que costuma desenvolver quadros graves, então é essencial consultar um veterinário e seguir as recomendações médicas sobre o tratamento. 

Gatos podem pegar cinomose?

Outra dúvida comum é se cinomose pega em gato, mas não é preciso se preocupar. A doença ataca apenas canídeos (cães, lobos e raposas). No entanto, é importante ter atenção para que o gato não circule entre cachorros saudáveis e doentes, já que isso pode auxiliar na transmissão. 

Quanto é o tempo de vida de um cachorro com cinomose?

Infelizmente, essa é uma doença com altos índices de mortalidade, que pode chegar a 90% dos casos. Contudo, não há uma resposta exata sobre quanto tempo leva para o cachorro morrer de cinomose. Tudo dependerá do tratamento e de como o cão reage aos procedimentos indicados pelo veterinário. 

Meu cachorro apresenta os sintomas da cinomose. O que fazer?

Diante de qualquer sintoma de cinomose em cachorro, procure atendimento veterinário para realizar os exames e fazer o diagnóstico. Quanto antes da doença for identificada e tratada, maiores serão as chances de cura do animal. 

Portanto, fique atento aos sintomas e caso identifique qualquer alteração no comportamento do animal, consulte o veterinário. E se você quer mais dicas sobre como cuidar do seu pet, no site da New York Pets você encontra produtos incríveis!

Como vimos, a cinomose é uma doença que exige atenção dos tutores tanto para as medidas de prevenção, como a vacina, quanto para identificar sintomas. Assim, é possível fazer o diagnóstico precoce e aumentar as chances de recuperação do seu pet. 

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Menu